3000 burpees em 30 dias

Há muitos anos atrás, quando comecei a incluir os burpees nos meus treinos, ganhei-lhe o gosto, fazendo com que, nos dias em que não podia ir ao ginásio, à piscina ou correr na rua, utilizasse o treino dos 100 burpees em casa como desafio do dia, como estímulo geral para o meu corpo.

Quando terminei o desafio dos 100 dias – 100 burpees, por alguma razão desconhecida, apanhei o gosto e continuamos com doses de 100 burpees por dia. Desta vez fazendo parte integrante dos treinos em vez de servirem, como anteriormente de… “sobremesa”. 

Na praia ficavam a olhar para mim, no final das corridas com os amigos, eles acompanhavam por solidariedade, no ginásio perguntavam se eu era militar e ficavam a pensar na dificuldade que aquilo teria. Mas os dias passavam e as repetições acumulavam. 

Umas vezes efetuados isoladamente como treino a altas horas da madrugada, outras vezes integrados na segunda parte do treino dentro ou fora do ginásio, amiudadas vezes efetuados em casa por imposições de tempo e tarefas familiares, mas o certo é que sempre foi possível incluir 13 a 16 minutos desse movimento intenso (eu sei que estão longe do meu recorde de menos de 10 minutos). Foi desde o dia 23 de Agosto que iniciamos o processo e fomos avançando. Não tínhamos objetivo algum de continuidade, mas conforme os dias iam passando, achávamos que aquilo deveria prosseguir. Até que um dia verificamos que nos faltavam menos de 10 dias para chegar ao dia 23. Foi a partir daí que fizemos umas contas e estabelecemos em andamento um objetivo: 3 mil burpees num mês. E o poder dos objetivos, do desafio connosco próprios, começou a fazer efeito, a gerar ímpeto.

Houve dias que não apetecia, houve outros que adorei fazer as repetições após ter efetuado agachamentos, peso morto e outros movimentos intensos. Em Maio começamos por partir os burpees em grupos de 5, mas a partir do dia 23 de Agosto, um conjunto de 100 era partido em 5 grupos de 20 repetições efetuadas com o peito a tocar levemente o solo, os cotovelos encostados ao tronco, pouco movimento nos joelhos, um salto para diante com os pés a liderarem o exercício como se dos pés na barra se tratasse e, finalmente um salto para cima efetuado com ambos os pés em simultâneo tal como nos outros dois saltos do exercício que resumimos em: mãos no chão, salto para trás, flexão de braços, salto para à frente e salto para cima. E agora? Apetece-me continuar a fazer burpees. Só não sei quantos nem por quanto tempo 🙂