1680 dias!

Há 20 anos atrás, quando terminei o Ensino Secundário, nem nos meus sonhos mais incríveis imaginaria que, um dia, viria a efectuar um Mestrado e muito menos a elaborar uma tese de Doutoramento. Sempre tive uma orientação para o lado humano e social, sempre me agradou a psicologia e a forma como se poderiam compreender e modificar os comportamentos e pensamentos das pessoas, sobretudo dos fantásticos desportistas que eu via nas transmissões televisivas. Creio que foi nessa altura, que se lançou a semente do interesse pela conduta humana desportiva, a qual floresceu na redacção da tese que conduziu à obtenção do grau de Doutor. Passo a explicar. Há 20 anos atrás, escrevia o meu primeiro texto de psicologia desportiva relacionada com futebol, devido às minhas funções de preparador físico numa equipa juvenil. Nessa mesma altura, inscrevia-me num ginásio de musculação pela primeira vez, para me reabilitar de uma cirurgia à coluna vertebral. Cultivaram-se assim as sementes: desporto, ginásios e psicologia.

Veio depois uma licenciatura em educação física e desporto, foram as forças do destino? Desisti da licenciatura em Engenharia Civil e entrei no meio do desporto. Mais tarde, com o meu trabalho em part-time como professor de musculação, em busca de respostas, lancei-me no primeiro Mestrado em Gestão Desportiva da Universidade do Porto. Realizei então, uma tese sobre psicologia organizacional em ambiente de ginásios. Nessa altura, já fazia mais sentido a escolha da Universidade de Vigo para realizar um Doutoramento. Não um Doutoramento qualquer, mas algo sobre pessoas, relações humanas, desporto, ginásios, comportamentos, pensamentos. Aqui estava tudo: uma tese sobre adesão aos ginásios.

Durante estes 1680 dias que decorreram desde a primeira sessão do curso de Doutoramento com o Prof. Robert Singer, fui concretizando a ideia de conhecer mais sobre o meio em que estou por paixão inserido há cerca de 20 anos: os ginásios. Foram dias de aulas, discussões, conversas com professores que nos estimularam o pensamento crítico, que nos incentivaram a inovar. A realização de pequenos trabalhos, foi afunilando o tema desta tese, embora aos 38 anos ainda tenha esta mania de ser irreverente ou ingénuo, esta mania de querer mudar o mundo, o objectivo inicial de querer filmar, entrevistar, reunir com professores e donos de ginásios, foi-se transformando apenas numa pedra para a construção de algo maior. Sim, porque quando começamos vemos tudo fácil, mas depois, os constrangimentos de tempo, dificuldades e ajudas, mudam por completo a imagem.

Devo dizer que aprendi mais pelo processo de realização deste trabalho do que pelo seu resultado final. Quando termino de escrever um texto, vejo tudo de forma diferente do que quando o iniciei. Foi nesse processo que surgiram as grandes dificuldades em obter informação, nos contactos, nas facilidades ou dificuldades colocadas pelos ginásios, na “guerra” com a estatística, na procura de tempo para trabalhar, na conjugação de horários com a família, com a profissão de professor do Ensino Secundário que pouco facilita, na coordenação de todas as actividades familiares, pessoais e profissionais para chegar ao fim. Disso se trata neste momento, chegar ao fim de uma maratona, com a consciência de ter dado o meu melhor mediante as condições que encontrei.

Apresentando a tese!
Apresentando a tese!

Assim, se entregou o documento final, o qual ficou a aguardar pela defesa pública, agora tornada possível, depois de algumas alterações nos membros do tribunal, fica para a história o orgulho de ter tido estes 5 ilustres Professores Catedráticos:

  • Alfonso Barca Losano – Faculdade de Ciências da Educação – Universidade da Coruña
  • Manuel Deaño Deaño – Faculdade de Ciencias da Educação – Universidade de Vigo
  • Agustin Dosil Maceira – Faculdade de Psicologia – Universidade de Santiago de Compostela
  • Jorge Mota – Faculdade de Ed. Física – Universidade do Porto
  • Constantino Arce Fernandez – Faculdade de Psicologia – Universidade de Santiago de Compostela
Alfonso Barca, Manuel Deaño, Agustin Dosil, Paulo Sena, Jorge Mota, Constantino Arce e Joaquin Dosil
Alfonso Barca, Manuel Deaño, Agustín Dosil, Paulo Sena, Jorge Mota, Constantino Arce e Joaquín Dosil

Do outro lado, Joaquín Dosil, o director do trabalho, tal qual um treinador que aguardava o desenvolvimento do trabalho do seu atleta em campo. Uma exposição de 30 minutos, 60 minutos de comentários e perguntas do tribunal e mais 30 minutos de respostas e comentários por parte do atleta. Duro! Intenso! Acima de tudo, muito emocionante, surpreendente e com um final feliz.

Depois de 1680 dias marcados por muito trabalho condicionado por motivos familiares e profissionais, conseguimos o grau de Doutor. Foi um dia lindo a todos os níveis, Sol, frescura da manhã, a luminosidade das instalações, uma sala aconchegante, nervosismo quanto baste, problemas logísticos, mas… Hablando Castellano elogiado pelo tribunal, lá foi possível defender a nossa tese à qual foram apontadas algumas correcções, embora, fosse altamente premiada com comentários que eu não estava à espera. O diário da Universidade de Vigo publicou a notícia. Para trás ficaram muitas pestanas queimadas, muitos quilómetros percorridos e… E… É melhor esquecer porque já chegamos a este ponto bonito que nunca imaginariamos chegar em sonho: SOBRESALIENTE CUMLAUDE por unanimidade. Obrigado a todos os que directa ou indirectamente colaboraram na criação desta realidade.

5 comentários em “1680 dias!”

  1. Prof. Doutor Paulo,

    Não podia deixar esta oportunidade para te dar um grande abraço por esta conquista magnífica. PARABENS!

    ES O MAIOR!

  2. Paulo ou será Sr Dr Honoris Paulo a partir de agora?!

    É uma honra seguramente para ti este “troféu” que conseguiste, por certo com muita dedicação, empenho, trabalho, conhecimentos e competência. Sinto q tb é uma honra para Portugal e, neste caso, para o Gimnocedro e para a AGAP ter contribuído, com 0,01% para este teu diploma.

    Mereces um reconhecimento e peras : )

  3. Já o poeta dizia – “Caminante, no hay camino, se hace camino al andar”.

    Não só trilhou o caminho, como é concerteza um excelente caminho ao qual todos os portugueses, principalmente nesta área, devem tomar como exemplo e referência. Parabéns por esta étapa!

Os comentários estão fechados.