Bandeiras!

Nós podemos, quando queremos e nos empenhamos!

Tem sido muito agradável ver a nossa bandeira Portuguesa por todo o lado. Transmite emoção, faz sentir que estamos todos cheios de força em torno do mesmo objectivo. É giro! Faz sentir que temos força, fé e dinâmica.

Tenho visto notícias de pessoas que fazem feitos extraordinários para demonstrar que apoiam a Selecção Nacional de futebol. Viajam de bicicleta milhares de quilómetros, fazem promessas, caminham grandes distâncias, poupam dinheiro durante anos, etc. O futebol tem impacto, mexe com o mundo, mexe comigo também. Devo dizer até que o futebol de onze foi o responsável por ter destruído os meus joelhos nos últimos 4 anos e por ter ajudado a acrescentar 4 kg de gordura por ter reduzido o volume de actividade física que anteriormente realizava. É importante mostrar os símbolos da nossa cultura, mas gostava tanto que estes fossem mostrados noutras circunstâncias e por outras causas. Não digo que o futebol profissional não seja importante, representa uma Nação, mas já têm tanto apoio, cada jogador receberá 250 mil euros em caso de vitória no mundial e outras quantias enormes por cada jogo vencido ou fase ultrapassada. Dispõem de todas as comodidades, a Federação usufrui dos nossos impostos e nem reclamamos por haver estádios municipais vazios comparticipados pelo nosso dinheiro.

Em contraste a tudo isto, recordo que no dia 10 de Junho de 2005 não vi bandeiras nas janelas, nesse dia em que os símbolos se deveriam mostrar numa explosão de orgulho nacionalista. Parece que o futebol puxa por nós em demasia. Gostava de ver tanta emoção e energia no trabalho, ver as pessoas orgulhosas daquilo que fazem no dia a dia, vê-las a dar o seu melhor com emoção e intensidade para serem os melhores naquilo que fazem, para serem os mais perfeitos naquilo que produzem, para tornarem os serviços e produtos portugueses os melhores do mundo. Porque, é de ser melhor que tudo isto se trata. Queremos ser campeões do mundo, queremos ser os melhores e parece-me que na intensidade e emoção do apoio demonstrado estamos ao nível dos melhores. Então porque não tentamos colocar a mesma emoção e intensidade no dia a dia? Na estrada a conduzir, no trabalho, na relação com os outros, na ajuda a quem de nós necessita, no orgulho de tudo aquilo que produzimos. Gostava imenso de ver transferida toda a dedicação, todos os sacrifícios e a mobilização do futebol para a vida de Portugal que é feito pelas acções de todos nós Portugueses que somos capazes do melhor quando queremos. É tudo uma questão de atitude! Não é problema dos materiais ou das instalações, não é problema do chefe ou do árbitro, somos nós que no nosso círculo de influências já provamos que podemos mudar muita coisa e ter muito impacto sobre aquilo que nos rodeia. Gosto tanto da bandeira!