A indústria do fitness e seus equipamentos 3


Na passada sexta-feira tive a oportunidade de apresentar uma comunicação ao 8º Mestrado de Gestão Desportiva da Faculdade de Desporto da Universidade do Porto. Durante a sua preparação, apercebi-me que ocorreu uma grande evolução estética nos equipamentos e houve também uma forte introdução de novas tecnologias. No entanto, nota-se uma forte pressão das empresas fabricantes de equipamentos em vender os seus materiais através de programas pré-coreografados.

A indústria do fitness continua a crescer em número de sócios e de ginásios, em vendas de equipamentos e materiais específicos. A variedade de materiais à escola subiu enormemente tornando a escolha mais difícil e ao mesmo tempo abrindo diversas possibilidades de intervenção neste sector. É pena que em Portugal não se conheça esta diversidade e se opte por seguir o vizinho do lado e adquirir os programas e equipamentos que este adquiriu. A consequência disto é uma luta feroz pelos mesmos clientes. Quando o vizinho é uma grande cadeia a consequência é quase sempre o suicídio do negócio pequeno que procura lutar com as mesmas armas e um reduzido arsenal de actividades, equipamentos e instalações.

É por isso muito importante que os gestores de ginásios conheçam bem o meio em que se inserem, conheçam bem a indústria do fitness (o seu passado, o seu presente e tendências futuras). Mas isso não basta para escolherem os equipamentos mais adequados. Conhecendo-se a si própria, uma empresa terá maior domínio sobre suas forças e fraquezas e pode através do conhecimento do mercado reconhecer ameaças e oportunidades que lhe permitam uma intervenção de sucesso provável.

Nem todos os clientes têm aptidão para realizar aulas de alta intensidade e de grande performance. O exercício físico trás benefícios de saúde e a generalidade da população já reconhece esse facto. Por isso, a ajuda que os ginásios podem dar às pessoas para melhorarem a sua qualidade de vida, deverá ocorrer através da incorporação da actividade física nas suas vidas. Ginásios e saúde continuam algo afastados e os primeiros continuam a prometer aquilo que dificilmente cumprem: grandes mudanças estéticas às pessoas.

Com um conhecimento mais profundo do grande mercado de pessoas que necessitam fazer actividade física de forma regular, podem depois os gestores iniciar a sua pesquisa de equipamentos na Internet, consultando especialistas e sobretudo experimentando e comparando os vários equipamentos nas melhores feiras da especialidade. Só depois, com base num orçamento realista e conclusões sólidas poderão decidir adquirir a máquina A ou B ou simplesmente optar por outra solução que não seja a compra. 


3 thoughts on “A indústria do fitness e seus equipamentos

  • António Estanqueiro

    Obrigado pelo comentário ao nosso ginásio, sem duvida a luz natural é uma mais valia…

    Se algum dia vier para Viseu não deixe de me contactar, terei todo o gosto em lhe oferecer um treino e falarmos um pouco…

  • Paulo Sena

    Obrigado pelos comentários.

    Este “post” foi um resumo das apresentações efectuadas no Mestrado de Gestão de Desporto da FADEUP.

    De facto, quando alguns colegas chegam à minha beira e me dizem: – Abriu um novo ginásio na minha cidade! Eu digo: – Deixa-me adivinhar os serviços, as aulas e os horários. Não sou nenhum bruxo, mas se colocarmos vários folhetos de diferentes ginásios lado a lado, iremos verificar demasiadas coisas idênticas quer em termos de instalações e equipamentos quer em termos de serviços. A diferença? Nas… Pessoas!

    Vi o site do ginásio FFITNESS. Achei bonito e interessante. Gostei muito da luz natural.

  • Antonio

    Tenho lido alguns dos seus posts e sem duvida bastante bons, sendo este muito realista e descritivo da realidade dos pequenos e médios ginasios que tentam acompanhar em vez de inovar…

Comments are closed.